Negra na Letônia : Minhas 24h em Riga

Última atualização

Roteiro de 10 dias pela Finlândia, Rússia e Países Bálticos

Em 2014 eu fiz uma viagem de verão onde eu passava pelos Países Bálticos e Rússia e um dos pontos finais da minha viagem era Riga na Letônia, passei pouco tempo na cidade mas não tive a melhor das impressões, e hoje considero Riga como uma das cidades mais difíceis para ser uma turista negra.

negra na Letônia

Primeiras impressões de Riga

Eu cheguei em Riga de manhã bem cedinho, cheguei de ônibus saindo de São Petersburgo na noite anterior, era muito cedo e eu pedi para deixar as malas no hotel onde eu iria fazer check-in e sai para dar uma volta na cidade e voltar para o hotel.

Ainda era bem cedo, e no meu curto passeio de menos de duas horas eu devo ter chamado cruzado uma dúzia de pessoas, mas a maioria das pessoas que eu cruzei me olhavam. Não deve ser fácil para um negro morar em Riga, ou talvez eu cruzei com as pessoas erradas, mas minha experiência como turista negra na Letônia não foi das mais prazerosas.

negra na Letônia

Claro que a questão não é apenas de olhar, eu sei que as pessoas em Riga talvez não estejam acostumadas a ver negros na rua o tempo todo, mas não era apenas um olhar de curiosidade como eu pude experimentar em outros lugares que visitei, era um olhar que chegava a incomodar, ou melhor não era olhar e sim encarar.

Voltei para o hotel, o pessoal do hotel foi super simpático comigo e me deixaram fazer check-in mais cedo, estava cansada porquê não dormi bem no ônibus noturno, e resolvi tirar um cochilo no hotel e sair mais tarde para conhecer a cidade.

Eu sou aquele tipo de pessoa que não abaixo minha cabeça se eu não estiver errada sabe? E como não há absolutamente nada de errado comigo para que as pessoas me encarem a ponto de me constranger, eu encaro as pessoas de volta também e na maioria das vezes basta para elas perceberam que estão sendo inconvenientes.

negra na Letônia

Minhas 24h como turista negra na Letônia

Pouco mais de 24h depois de chegar em Riga eu estava no aeroporto a caminho de Bremen, e no aeroporto eu já estava de saco cheio dos olhares, as pessoas ficavam me encarando o tempo todo, estava no mínimo desagradável e pesado

Nem no aeroporto eu tive sossego, as pessoas me encaravam muito e algumas inclusive com expressões nem um pouco amigáveis. Não vou dizer que cheguei a temer pela minha integridade física, mas foi algo muito desagradável e eu não via a hora de ir embora da Letônia, o que deveria ser uma parada de férias e divertimento acabou sendo um fardo para mim.

Eu já tinha ouvido falar de racismo e de ataques neonazistas na Letônia, e em alguns momentos comecei a imaginar esse tipo de coisa, passei pouco mais de 24 em Riga, mas não posso dizer que tive a melhor das impressões da cidade, e menos ainda que é um lugar tranquilo para turistas negros.

Outros posts sobre como é ser uma viajante negra no mundo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.